quarta-feira, 30 de março de 2011

No caminho.


Tudo começou com o controle remoto. Estava de férias e procurava algo descente para assistir na televisão. Resolvi deixar no canal Multishow que, no momento, transmitia “No Caminho”. Um programa que mostra Susanna Queiroz viajando por lugares “místicos” e fora do roteiro turístico da maioria, como Vietnã, Índia, Bangladesh, Butão... Entre tantas informações novas sobre tantas culturas diferentes, o que me chamou mais atenção foram às explicações dela sobre o Budismo. Na verdade, não eram exatamente explicações, mas como vocês sabem, uma imagem vale mais que mil palavras.


Então comecei a pesquisar sobre essa filosofia, foi quando encontrei a seguinte frase do Buda: “Onde quer que viva esse é o teu templo, se o tratar como o tal.”. Foi amor a primeira vista. (Sim, me apaixono por frases e não há quem dê jeito nisso!). E por uma simples frase eu entendi. Não entendi tudo, porque há certas coisas nessa vida que não se explicam. Mas entendi um pouco do que representa o Budismo; Entendi mais das sensações (muito boas por sinal!) que tive quando passei três meses e meio ‘sozinha’ (nós nunca estamos sozinhos!) em Nebraska; Entendi porque, ás vezes, não damos valor em tudo que somos (o templo do outro, ás vezes parece mais bonito, não é mesmo?) e entendi exatamente do que se trata aquele filme “Comer, Rezar e Amar” (para quem ainda não viu, recomendo!).


E você deve estar se perguntando aonde eu quero chegar com essa ladainha toda... Sabe o que é? Hoje eu acordei de saco cheio, sem paciência, sem inspiração, até com vontade de me demitir e ir pra Bali andar pela cidade de bicicleta ou num elefante (ai se eu pudesse, ai se meu dinheiro desse...). São essas crises de insatisfação que nos fazem ir para frente e alcançar coisas melhores, eu sei. Por isso, hoje, a cada momento que penso em reclamar de tudo que tenho, estou respirando fundo a fim de respeitar meu templo (e também meu tempo).


Para terminar... Insatisfação não é tão ruim – se você fizer algo a respeito. Não gostou de um projeto, de uma cor, de um traço? Mude. Não gostou da música? Troque de estação. Está desmotivado com o emprego? Comece a procurar outro (é o que eu estou fazendo!). Está sem ideias, pare de procurá-las loucamente. Peço desculpas se essa postagem ficou muito “auto-ajuda”, mas hoje esse texto foi minha maneira de começar a fazer “aquela” faxina no meu templo.



Dicas:
- Fotos, vídeos e mais sobre o programa "No Caminho": clique aqui
- Documentário sobre a vida de Buda: clique aqui para acessar os links

*

3 comentários:

Vivian Almeida disse...

Muito bom esse post. Hoje acordei do mesmo jeito. Aliás, tenho acordado assim nesta semana...rs! Escreves muito bem! ;)

Tatiana Camilo disse...

Obrigada Vivian.. seja sempre bem vinda por aqui ;)

Vivian Almeida disse...

Obrigada. Sempre que der passarei por aqui. ;)