sábado, 29 de janeiro de 2011

  Nós não queremos ser iguais!

  Ao contrário do que muitos pensam, nós mulheres nunca quisemos ser iguais aos homens. O objetivo era - e ainda é - lutar pelos mesmos direitos. Ter as mesmas coisas e não ser as mesmas coisas. É aí que muita gente se confunde. Nós queremos ser respeitadas e tratadas como mulheres. Pois ainda usamos saltos, demoramos para escolher a roupa, sem contar as unhas que se desfazem ao lavarmos a louça. Abrir a porta do carro e tomar algumas iniciativas não fará com que achemos os homens ultrapassados. Esse é o medo deles... Ficar para trás. E desculpe a franquesa, eles ficam. Ficam para trás quando dão início aos joguinhos de quem tem razão, quem pode mais, quem trabalha mais e quem aguenta por mais tempo, ou seja, a famosa guerra dos sexos. Haja paciência. Não sei vocês, mas eu prefiro os mais diretos. Quero. Não quero. Gosto. Não gosto. Assunto resolvido. Se a reposta for positiva, que haja força para lutar pelo o que se quer (independente do qual intensidade e tamanho isso seja). Talvez seja por isso que as mulheres gostam - inconscientemente ou não - dos canalhas. Eles lutam por nós e vão até o final, mesmo que seja para nos fazer sofrer um pouquinho. Não que eu ache isso certo. Mas os bons homens deveriam aprender a ser persistentes como os canalhas. Não queremos ninguém ajoelhado aos nossos pés. Queremos ser apenas mulheres. O que sempre fomos. Agora se a resposta for negativa e ele não te quiser mesmo... Ah minha filha, aguenta! Porque se antes sentíamos a rejeição pelo telefone que não tocava, nem respondia. Agora somos rejeitadas por todas redes sociais possíveis. (Todo mundo sabe que a melhor parte acontece ao vivo, não é mesmo?!). Com tanta tecnologia, tanta ferramenta que aproxima pessoas... Ele diz que você está sumida. Hã? Entendi direito? E ele repete a frase rindo: "O que aconteceu? Você sumiu..". E o pensamento feminino quase escapa pela boca: "Você não me procurou!". O que quero dizer é que a tecnologia avança, redes sociais surgem a todo momento, a imagem da tv pode ser vista em 3d, as mulheres estão mais independentes, os homens podem ser metrossexuais sem serem vistos como gays... Podem passar anos e anos, mas as mulheres serão sempre mulheres (do sexo frágil sim! Viciadas em gestos simples e verdadeiros.) e os homens terão sempre as mesmas desculpas esfarrapadas.


(Obs: Não generalizo nada. Nem homem, nem mulher. Pois um dia me perguntaram: "Você se considera igual à todas as mulheres?" Respondi que definitivamente não. Eu sou assim - e não há quem dê jeito nisso. E isso vale pro resto do mundo.)

*

3 comentários:

Ludmila Melgaço disse...

Acho que essa coisa dos canalhas vem do fato de que eles sabem do que a gente gosta e usam dessas artimanhas pra nos conquistar, nem que seja numa efemeridade.

E em relação aos direitoas iguais, acho que no fim de tudo a gente se fodeu. Porque agora "direitos iguais" virou desculpa para todo e qualquer deslize, falta de educação ou escrotisse.
Eu não dou conta, Tati! rs

Cristiano Vieira disse...

Desculpa esfarrapada é comigo mesmo:
- Por que vc fez isso querido?
- Estava vendo o jog... é, estava trabalhando e esqueci de te buscar, mas eu estava pensando em vc!!

Não gosto de mulheres que acham que devem ser como os homens, mas gosto de mulheres que fazem valer o respeito... (mas se as mulheres gostam dos canalhas, todo homem tb tem uma quedinha por uma "safada"...hahaha, afinal, elas mais do que ninguém sabem ser femininas e ter atitude!)

Roxy disse...

Só sei que é assim... mulher é mulher e nunca vai deixar de ser. E mulher gosta de carinho, aconchego, romance... Será que é pedir muito? Vc sabe a resposta? Eu ainda estou tentando descobrir! Bjoca e parabéns pelo texto... falou tudo e mais um pouco!