sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Quando a paciência desaparece....
(a irritabilidade das coisas)

Essa semana várias coisas me deixaram irritada. Irritada mesmo! Todo o meu lado hippie, zen e tranquilo (ás vezes até demais) escorregeu pelo ralo. Falta de compreensão e respeito das pessoas + provas e trabalhos da faculdade + computador do trampo desligando sozinho + computador de casa com vírus + tpm. Você esperava o que? Ficar muito irritada era o mínimo que eu poderia fazer. Aí desabafo... com o travesseiro, com a Luh da faculdade, xingo muito no twitter, até escrevi uma folha frente e verso e colei na televisão para os membros da minha família que chegassem em casa pudesse ler tudo que tenho considerado "uma puta falta de sacanagem". Viro funérea (quem não sabe o que é isso pesquise no youtube), acho tudo infortúnio. Fico com raiva de quem tenta me desencalhar, fico com raiva porque meu status ainda é solteira, fico com raiva de respostas ocultas, de perguntas idiotas, de sms escrito errado, de dar mais que receber, do povo que fica brigando por causa da Dilma e do Serra via facebook (Meodeoos... Tantas causas sociais nesse mundo pra gente defender...), fico com raiva de quem joga a culpa nos outros, fico com raiva do meu professor que insiste que eu leve um bloquinho com desenhos de observação e caricaturas na aula (ele não tem noção de que quando observo, eu quero escrever e que não tenho afinidade alguma com caricaturas), fiquei com raiva até do meu sonho onde duas pessoas jogaram lixo na rua. Fiquei com raiva. Fiquei Puta (modo de expressão, é claro!). Eu irritada, falo verdades em palavras indelicadas. Não que eu fale mentiras (taí outra coisa que me irrita). Sempre fui a favor da verdade e ainda mais a favor de como a falamos. Por isso tento me controlar na irritação, muitas vezes prefiro o silêncio, e fico martelando revoltas e xingamentos na minha cabeça, controlando uma imensa vontade de responder na lata, de enviar emails destruidores e ás vezes chorar no fim do dia. Medo de mim, eu sei, eu também fico. Não posso negar e não adianta querer me levar achando que sou 100% qualidades, o tempo inteiro boazinha. Na minha opinião, nem os santos estão livres dos pecados, do lado B, da raiva. É nessa hora que respiro, que escuto música estranha e tento desviar o pensamento, mas não dá. Eu estou irritada e sou mulher. Modesta parte, sabemos como ficar irritada com charme, mesmo que isso aconteça de maneira totalmente inconsiente. Você, meu bem, que consegue rir das caras e bocas de uma mulher irritada (sem deixá-la mais irritada ainda) é capaz de dominar o mundo. Ouça bem o que eu te digo. E é melhor ouvir mesmo. Não fala nada - não queira competir comigo num momento desses e me dá um abraço de bônus - mesmo que eu me mostre resistente.


Beijos mágicos e irritados!

3 comentários:

Thiago disse...

estou com medo de vc essa semana...espero que o findi te regenere

Aleks disse...

nhaaaaaaaaaaaaaa

vai pescar!!!

Ludmila Melgaço disse...

ando assim também... completamente descompensada. E ninguém em sã consciência que ser assim.
Tenham paciência.
E um abraço junto com um bombomzinho por via das dúvidas! ;)