quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Na linha do horizonte________________________


Eu aponto para onde estou indo
Há uma linha que une o bem e o mal
Nós andamos por ela, presos ao nosso limite
Quando não há como voltar atrás, você procura
bem no fundo da sua mente algo para se libertar
Existe um ponto de luz que eu preciso consertar
Pois isso está me cegando
Como se eu estivesse sendo embrulhada pelo sol
e eu estou me desfazendo
As chamas passam pela minha pele
Eu posso sentir você perto de mim
Eu preciso correr, saltar e voar
Eu preciso perder o controle
Eu nunca quis ser alguém tão previsível
De perto eu lhe garanto que as coisas parecem bem maiores
Todos possuem escolhas fracassadas no passado
Eu não posso voltar atrás e essa é uma história sem fim
Eu não posso voltar atrás e isso é tudo que restou pra mim
Na minha frente: a linha do horizonte
Depois daquilo: coisas que eu não posso ver
Talvez alí esteja escondida a nossa glória
as nossas promessas despedaçadas
as gotas de fé que temos guardado até aqui
Quando você chegar na linha do horizonte
você não conseguirá mais fugir
você terá que lutar pelos seus sonhos
esse é o seu limite
É minha chance de resgatar minha vida
É minha chance de renovar meus medos
e as perguntas que tenho feito constantemente
Eu preciso correr, saltar e voar
Eu preciso perder o controle
Eu nunca quis ser alguém tão previsível
Quando eu chegar na linha do horizonte
Não conseguirei mais fugir
Terei que lutar pelos meus sonhos
esse é o meu limite
-


3 comentários:

Thiago disse...

"e se quiser saber pra aonde eu vou...pra onde tenha sol, é pra la que vou...."

Ludmila Melgaço disse...

Achei FODA. Muito digno.

Annah ♪ disse...

:O *-* incrivel!