domingo, 18 de dezembro de 2011

Ela.
Ela chega devagar, apesar da mania de andar rápido. Uma outra mania é organizar as coisas como se tudo coubesse num texto, num grande livro. Ela demora um pouco pra se acostumar, mas adora coisas novas. Pessoas, lugares, histórias, sabores. Mesmo que isso lhe proporcione frio na barriga, borboletas no estômago e uma falta de jeito. Ela prefere a noite - onde tudo já passou, ou o melhor ainda vai começar -que o dia. Tá na cara. Olha só pra ela. De manhã, crua, olhos de sono, roupa qualquer. De noite, ela olha pro espelho com olhos contornados e até se sente mais mulher. A noite pra chegar, andar, estar em qualquer lugar, cantar na aula de spinning, gritar no combat, pensar em fazer ioga, abrir a janela pra ver se encontra a lua, as estrelas, uma ideia nova. Ela tenta ser ela mesma o dia inteiro. Mas, ás vezes, ela é de propósito, quando não encontra outro jeito de ser. Ás vezes ela fica triste e não sabe o motivo. Ou sabe e não quer dizer. Deve ser TPM. Ou pelo menos, isso serve para alguma explicação. Ás vezes ela se perde e se encontra numa personagem de um filme, na letra de uma música, numa frase de algum autor favorito. Ás vezes ela se perde quando fica sem saber o que aconteceu, por que acabou, por que não passou, por que ainda não aconteceu, mas ela se encontra nela mesma, no instante de um piscar de olhos, num lugar secreto. Ela é fácil. Se contenta com o simples. Entrega sua gratidão e admiração por quem lhe der chocolate, boas risadas e um abraço apertado. Ela sabe quando é sincero. Mas, ás vezes, fica sem saber quando não é. Ela é pontual e, ás vezes imprevisível. Já me surpreendeu várias vezes. Inteligente - principalmente se não for algo relacionado à matemática - mas não chega a ser nerd. Ela quer, um dia,  ter uma filha chamada Sophie e dançar Me & Mrs. Jones ou Everything (ela ainda está na dúvida) do Michael Bublé com alguém especial. É... eu também dei risada quando soube disso. Falando em dançar, ela adora e queria ter mais tempo pra se dedicar a isso. Ser uma dançarina não profissional por pura diversão. Ela prefere parque, show, lugares que nunca viu do que baladas com músicas intermináveis com gente que você nunca mais vai ver. Ela não é perfeita e nem pretende ser. Ela parece séria, mas isso não tem nada a ver. Ela acha que é sempre a última impressão que fica, não a primeira. Ela é gente boa, de fases, frases e sonhos. Gosto dela. Principalmente quando ela está despreocupada, radiante e linda. Linda ela é, em muitos aspectos, mas as vezes se esquece disso e eu tenho que lembrá-la. Brigamos por bobagem como todo mundo, mas é por pouco tempo. Ela é minha confidente, minha doce companhia pra quando quero estar sozinha. Ela sou eu. Eu sou ela.


"Sou tantas que mal consigo me distinguir.
Sou estrategista, batalhadora, porém traída pela comoção.
Num piscar de olhos fico terna, delicada."
(Martha Medeiros)


        

-

3 comentários:

Douglas Ianitsky disse...

"Ou sabe e não quer dizer. Deve ser TPM. Ou pelo menos, isso serve para alguma explicação."


Tem umas que usam como desculpa. Hehe

Mas adorei o posto. Fiquei encantado com seu "EU". ^^

É legal como você consegue terminar um post, mas ainda assim continuar as idéias em outro sem que fique maçante.

Gosto desse blog, das frases que seleciona e da forma que põe e se põe no mundo. =)

Beijos. E tmb, concordo, parques são muito melhores.

Danilo disse...

!..ESTA MINHA AMIGA É LINDA..PRONTO FALEI..!

Caio disse...

Essa sua foto no espelho super orna com o post! E você não foi convencida, eu gostei. Eu gosto de você assim, desse jeitinho. Congrats.
=^)